Google Store: Por dentro da primeira loja física da marca em Nova York

Google Store: Por dentro da primeira loja física da marca em Nova York

O Google acaba de abrir sua primeira loja física de varejo no bairro de Chelsea em Nova York, nos Estados Unidos. O espaço permite que os clientes experimentem a linha de dispositivos e serviços da marca – smartphones da linha Pixel, notebooks Pixelbooks, pulseiras inteligentes Fitbit e dispositivos domésticos da Nest. A loja também serve como local de atendimento ao cliente e retirada de pedidos feitos online.

A ideia da empresa era de que a primeira loja da marca refletisse a abordagem que ela adota em seus produtos, com foco na utilidade que eles têm para as pessoas. O resultado é um espaço acolhedor e convidativo, muito iluminado e, claro, tecnológico.

O projeto ficou a cargo do escritório de arquitetura Reddymade. Uma maquete em tamanho real chegou a ser testada para verificação de espaço, layout, tecnologia e experiência geral do visitante. “Nós consideramos todas as maneiras imersivas de as pessoas aprenderem sobre todos os recursos de nossos telefones Pixel e produtos Nest e ver como o melhor do software e dos serviços do Google ganham vida ao usá-los: pesquisa Google, Google Assistente, Google Maps, YouTube, Stadia e muitos mais”, diz a empresa, em nota.

Sustentabilidade nas paredes e nos móveis

O Google também informa que a sustentabilidade é um princípio fundamental do negócio, e por isso foi considerada no projeto. Cada elemento da Google Store – os materiais, processos de construção, sistemas mecânicos e muito mais – foi selecionado sob esse aspecto. O verniz nas paredes, por exemplo, é de uma nogueira cinza suave de origem responsável; cada luminária é eficiente em termos de energia e os móveis de madeira e cortiça personalizados foram criados por um artesão local de Greenpoint, Brooklyn.

“Estamos honrados por ter trabalhado com o US Green Building Council neste processo e agora podemos compartilhar que a Google Store Chelsea é um dos menos de 215 espaços de varejo no mundo a ter alcançado uma classificação LEED Platinum – a certificação mais alta possível dentro do sistema de classificação de edifícios verdes de Liderança em Energia e Design Ambiental”, diz a empresa.

Produtos físicos e digitais revestem as vitrines da loja. Perto da entrada principal, o cliente encontra uma estrutura de vidro circular de 5 metros de altura (projetada com parceiros locais de Nova York) chamada de Google Imagination Space. Com telas interativas personalizadas que apresentam exibições rotativas para os visitantes experimentarem produtos e tecnologias, o espaço oferece uma experiência construída em torno do Google Translate. A fala do cliente é traduzida em tempo real para 24 idiomas simultaneamente – em seguida, ele descobre como isso acontece no back-end por meio do uso de várias tecnologias do Google.

Uma equipe especializada está à disposição para responder a perguntas, oferecer reparos e solucionar problemas no local.

 

 

Caminho trilhado pela Apple

Com esse movimento, o Google, que pertence à Alphabet, começa a trilhar um caminho que já foi feito pela Apple, que há 20 anos começou a operar lojas físicas e a fornecer serviços presenciais para aumentar as vendas. Atualmente, a Apple tem 270 lojas nos Estados Unidos, além de outras no exterior.

A Alphabet Inc. é uma holding e um conglomerado que possui diretamente várias empresas que foram pertencentes ou vinculadas ao Google, incluindo o próprio Google. A empresa está sediada na Califórnia e foi fundada por Larry Page e Sergey Brin. A partir de dezembro de 2019, o CEO da empresa passou a ser Sundar Pichai.

Crédito: Mercado & Consumo
Imagens: Divulgação

 

Mantenedores do FGVcev